Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Moradores pedem implantação de Universidade na Vila Irmã Dulce

  • Publicado: Segunda, 18 de Junho de 2018, 16h27
  • Última atualização em Quarta, 20 de Junho de 2018, 16h51
Tamanho da letra:

Fundada há 20 anos e com mais de 30 mil habitantes a Vila Irmã Dulce, na zona sul de Teresina não dispõe de uma universidade. E por isso as lideranças em reunião com a senadora Regina Sousa(PT-PI), no final de semana, solicitaram à parlamentar apoio para levar o ensino superior à região que, além dos moradores da Vila, irá beneficiar pessoas de outros bairros. Eles alegam que o campus da Universidade Estadual mais próximo fica no Dirceu Arcoverde, zona sudeste, e eles têm dificuldade com transporte.
Edilson Borges dos Santos, líder comunitário, disse que os moradores precisam de uma Universidade na Vila Irmã Dulce, pois na zona sul só há uma instituição de ensino superior localizada no bairro São Pedro. “ E a UESPI fica no Dirceu, que é distante pra gente.” Ele argumentou que além da distância, há a falta de segurança para quem precisa se deslocar para estudar fora da Vila e dos bairros próximos. “A violência é grande.”
O professor e comunicador John Silva destacou que além da falta de segurança, há carência de políticas públicas na região que tem vários conjuntos habitacionais, além da Vila Irmã Dulce, a maior ocupação da América Latina. Ele pediu à senadora apoio para as rádios comunitárias e meios de comunicação alternativos.
“Vou ajudar no que for possível,” respondeu a senadora às demandas das lideranças da zona sul Vila. Em relação ao campus da Universidade Estadual, ela sugeriu que eles elaborem um projeto com informações sobre o número de moradores dos bairros a serem beneficiados com o campus, de escolas com ensino médio na região para levar ao governador e ao Reitor.
A parlamentar disse que Segurança é problema nacional e foi aprovado no Senado o Sistema Nacional de Segurança que terá recursos da União a partir do próximo ano e que vai fortalecer as ações de combate à violência em todos os Estados. E sobre as rádios comunitárias, informou que a Comissão de Educação do Senado aprovou a isenção do pagamento ao Escritório Central de Arrecadação e Distribuição-ECAD de direitos autorais.
No Café com Lideranças havia ainda representantes da Vila Palitolândia, Parque Eliane e Conjuntos Mário Covas e Porto Alegre. Regina Sousa lembrou que ajudou na ocupação da Vila Irmã Dulce em 1998 juntamente com outras lideranças sindicais e comunitárias. Disse que teve resistência, mas a união de muitas pessoas fortaleceu o movimento e foi feita a maior ocupação da América Latina, de forma organizada, na época com mais de três mil famílias. “Uma história, uma luta que é importante todos saberem.”

registrado em:
Fim do conteúdo da página