Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Representantes de trabalhadores rurais agradecem à senadora Regina por defender seus direitos

  • Publicado: Quinta, 01 de Fevereiro de 2018, 10h19
  • Última atualização em Quinta, 15 de Fevereiro de 2018, 16h06
Tamanho da letra:


Os presidentes da Confederação Nacional, Aristides Veras, e da
 Federação dos Trabalhadores Rurais do Piauí,Elisângela Moura, agradeceram à senadora Regina Sousa por defender a categoria no Senado. A parlamentar participou na noite de quarta-feira (31) da abertura do 7° Encontro Estadual, em Teresina. o governador Wellington Dias esteve no evento.

Elisângela Moura destacou o trabalho da senadora Regina em percorrer o Estado alertando para o perigo da aprovação da reforma da Previdência. "Agradecemos à senadora por debater nos municípios os impactos negativos da reforma da Previdência." A parlamentar já visitou diversos municípios conversando com a população sobre os efeitos do projeto de lei na vida do trabalhador caso seja aprovado. A proposta de mudança na Previdência está prevista para ser votada na Câmara dos Deputados no próximo dia 19.

Nos encontros com os moradores a senadora destaca alguns pontos como o pagamento da contribuição pelo trabalhador rural. Pela proposta, será de 5% por cento do valor do salário mínimo. Regina sempre lembra que o trabalhador rural não tem renda e se permanecer o pagamento, muitos não terão como pagar e não poderão se aposentar. E além disso, destaca a senadora, os jovens abandonarão o campo e o preço dos alimentos irá aumentar. " Não terá mais quem plante e cultive a terra." Em janeiro a senadora conversou com moradores de 22 municípios piauienses.

Aristides Veras agradeceu a luta da senadora na defesa dos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras rurais. Regina Sousa sempre vota a favor da classe trabalhadora no Senado e também percorreu o Piauí alertando para os perigos da aprovação da reforma trabalhista e agora relata, nos debates com a população, os efeitos dessa lei que já está em vigor, como o trabalho intermitente em que a pessoa só ganha pelas horas trabalhadas." Se o trabalhador receber menos que o salário mínimo, ele terá que pagar à Previdência sobre o valor restante para poder contar o tempo de contribuição," alerta sempre a parlamentar nas palestras.

O Encontro reúne mais de 600 trabalhadores rurais, representando 224 sindicatos, e acontece no Centro de Formação da FETAG. Eles discutem até sexta-feira, dia 2, organização e unidade política para o fortalecimento da agricultura familiar

registrado em:
Fim do conteúdo da página