Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Últimas notícias

Regina homenageia dia da Mulher Indígena

  • Publicado: Quarta, 05 de Setembro de 2018, 17h58
  • Última atualização em Quarta, 05 de Setembro de 2018, 18h09
  • Acessos: 64
Tamanho da letra:

No dia internacional da Mulher Indígena, a presidenta da Comissão de Direitos Humanos, senadora Regina Sousa (PT-PI) celebra, em nota oficial, a memória de Bertolina Sisa, esquartejada por sua luta contra o opressor espanhol. E também homenageia a cacique Bartolina Quitéria Maria de Jesus, do povo Pankararú. Bartolina foi pioneira na luta pelos direitos indígenas no Nordeste.

“Quitéria é um incentivo às jovens indígenas para se engajarem na defesa de seus povos e na manutenção de suas culturas, assim como suas antepassadas”, disse a senadora.

Leia a íntegra da nota:

Assim como a tragédia de Triangle Shirtwaist institui o Dia Internacional da Mulher, o brutal esquartejamento de Bartolina Sisa, da etnia Quéchua, como punição por ter participado e comandado uma rebelião contra a opressão dos espanhóis em 1782, no Peru, grava o Dia Internacional da Mulher Indígena em 5 de setembro, por decisão dos participantes do II Encontro de Organizações e Movimentos da América, em Tihuanaco (Bolívia), no ano de 1983.

Hoje é um dia para lutarmos contra a brutalidade crescente contra todas as mulheres e sobretudo contra a perene e cruel realidade das mulheres indígenas. Para lembrarmos da luta das mães que se afogam com seus filhos nos mares da Europa fugindo de guerras insanas que assolam suas famílias com a fome e a morte.

Em que pese o papel protagonista de todas as mulheres no cotidiano das sociedades, o papel da mulher indígena em sua comunidade alcança a natureza de curadora de sua cultura, matriarca de sua estirpe. Surge em contraponto à incorporação de hábitos urbanos pela juventude indígena seduzida pelo apelo consumista que pretere os hábitos tradicionais de tempos imemoriais.

A beleza da mulher indígena ultrapassa as fronteiras das tribos, empresta referência mundial ao Brasil, enche a história e a poesia de nossos povos com sua nobre origem. Por outro lado, é alvo do assédio do machismo, que traz a reboque, os religiosos e os preconceitos.

Neste dia 05 de setembro quero homenagear, na celebração do Dia Internacional da Mulher Indígena, em memória da cacique Quitéria Maria de Jesus, do povo Pankararú, falecida em 2009, pioneira na luta pelos direitos indígenas no Nordeste. Exalto o exemplo de luta de mulheres como Bartolina e Quitéria como incentivo às jovens indígenas para se engajarem na defesa de seus povos e na manutenção de suas culturas, assim como suas antepassadas.

Senadora Regina Sousa
Presidenta da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado Federal

registrado em:
Fim do conteúdo da página